quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Síndrome de aniversário - árvore genealógica tem a ver com calendário?

"O inconsciente tem uma boa memória e marca acontecimentos importantes do ciclo de vida por repetição de datas ou idade." Anne Ancelin Schützewberger

Podemos fazer um exercício simples, mas trabalhoso: pegar um calendário e anotar as datas de nascimento e morte dos membros de nossa árvore genealógica, bem como outras datas importantes, como casamentos, acidentes, prisões, etc. Nos surpreenderá ver como em um mesmo dia e ao redor dele se amontam acontecimentos.

Outro exercício interessante é observar a idade em que os nossos antepassados ​​sofreram trauma significativo. Veremos que é repetido em alguns de seus descendentes de forma idêntica ou camuflada. Por exemplo, uma mulher deve ser hospitalizada com diagnóstico de esquizofrenia, da mesma idade que sua mãe foi hospitalizada pela mesma razão e que sua filha tinha a mesma idade que ela tinha naquele momento.

O fenômeno do duplo aniversário é quando coincidem a idade e a data da repetição.

Estes "coincidências" não se devem ao acaso, um estudo estatístico da probabilidade confirmaria, mas obedecem à vontade da árvore.


Vamos fazer três hipóteses:

1. O aniversário pode ter um componente associado com um contrato
Os contratos são uma espécie de "códigos" que atuam em nossa vida na forma de crenças e inibições.

Pode ser o caso do nascimento ocorrer em uma data, que vem recordar um evento feliz ou triste de outra geração. Por exemplo: o nascimento de uma filha no mesmo dia e mês em que a avó morreu para que essa data torne-se significante. O contrato diz em letras grandes que ela vem desempenhar o mesmo papel que a avó tinha.

2. Ter nascido em uma determinada data é um abuso, a programação vem de fora.
Os abusos se opõem a nossa realização. Quando há muito ou pouco.

Um exemplo são os chamados "filhos de substituição" nascidos no mesmo dia que morreu ou se enterrou outro filho que o precedeu, cuja mãe não fez luto. Também podemos considerar outro abuso o fato de repetir o nome do morto na nova criatura, com o que estamos dizendo que este veio substitui o morto.

3. Programarmos para morrer em outra data, é uma lealdade.
Qualquer contrato de que falamos se cumpre sempre por lealdade e por medo de deixar de pertencer ao clã, ou seja, por medo das consequências.

Nós somos programamos para viver o mesmo número de anos que nossos pais. Tomemos o exemplo uma avó que morreu jovem, aos 45 anos, a filha quando ela atinge essa idade tem uma grande crise e sofre um acidente e a neta quando atinge essa idade também adoece. São lealdades inconscientes a uma figura de autoridade na árvore genealógica.

Aceitamos que as coisas devem ser feitas de uma certa maneira, é o que impõe a nossa árvore.

Gabriela Rodriguez, discípula de Alejandro Jodorowsky, nos explica que nas famílias se repetem inúmeras circunstâncias, tais como nomes, datas, formas de nascimento e maneiras de morrer, entre outras, que influenciam nossas ações e estão gerando depressão ou neurose. A estas coincidências tem chamado de "A Armadilha". Ela recorda o caso de uma mãe que veio em seu escritório, porque "seu filho há 2 anos sofria um acidente sempre na mesma data".

Eles investigaram sua história familiar e descobriram que um avô paterno do jovem havia cometido suicídio naquela data com a mesma idade que o menino quando veio para terapia. "De alguma forma, o filho começou a repetir a história de seu avô, inconscientemente", explica a psicomaga, "e para quebrar este vínculo, toda a família foi para o cemitério honrar o seu parente morto, fazendo um discurso e uma oferenda para curar a alma perdida pelo suicídio."



Uma árvore saudável é a que permite a transformação e uma árvore doente a que insiste em repetição. Uma árvore saudável ​​deixa que os novos galhos nasçam e cresçam livremente a partir de seu tronco, uma árvore doente insiste que os galhos nasçam sobre as feridas dos galhos caídos. Com Psicomagia* podemos desativar A Armadilha de aniversários, por exemplo, com cerimônias fúnebres completas para que situações não resolvidas se finalizem.

Para terminar, citemos um caso frequente, um adulto percebe que substitui seu avô, que morreu quando tinha 42 anos. Como acaba de alcançar a idade em que este morreu, sabe que precisa quebrar esse contrato de lealdade. Não quer morrer com essa idade ...

O ato Psicomágico consiste em encontrar um lugar para cavar uma sepultura, em seguida, enterrar-se junto com a fotografia de do seu avô, deixando a cabeça para fora. Amigos lhe dizem suas últimas palavras ali a seu lado, aguentará um número de horas no poço. Finalmente o desenterrarão e lavarão com três litros de água benta. E se buscará um novo nome, uma nova identidade para poder começar uma nova vida.

(Terá realizado metaforicamente o que mais temia e, assim, dessa forma o superará)

via Plano Sin Fin - Tradução livre Vívian Pires

* Observemos que esta é uma técnica diferente da Constelação Familiar, mas que também refere-se à consciência familiar como determinante para muitas "decisões" (inconscientes) que tomamos na vida.

Aproprie-se da sua vida, honre seus ancestrais de um outro jeito agora, sem carregar o peso deixado. Conheça as Constelações Familiares, grupos em Porto Alegre e Novo Hamburgo.

Vem Conhecer! Vem Participar! Vem Constelar!

Deixe seu comentário. Curta. Compartilhe. 
Seja um multiplicador, pra que essa informação chegue a mais pessoas!

Um super Beijo com gratidão,
Vívian Pires

3 comentários:

  1. Muito interessante o artigo. Percebo que tenho esse contrato com minha mãe.

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante o artigo. Percebo que tenho esse contrato com minha mãe.

    ResponderExcluir
  3. Luanna, Bem-vinda!
    Obrigada pela visita e comentário!
    Muitos de nós estamos emaranhados nesses contratos. Venha conhecer as constelações e entenda como se libertar. ❤

    ResponderExcluir